POR QUE MEU GATO VOMITA?

Sim, o gato vomita com uma certa frequência… mas dependendo do material que está sendo expelido pode estar relacionado com uma causa diferente. A mímica de vômito sem nenhuma secreção ou material indica simplesmente enjoo e pode estar relacionada a uma série de situações que envolvem causas obstrutivas, infecciosas (incluindo parasitárias) ou inflamatórias. 

O exame ultrassonográfico é capaz de fornecer informações sobre os órgãos que estão relacionados a todas as causas de vômito: fígado, vesícula biliar e vias biliares, pâncreas, estômago e intestino, rins e bexiga. Parece estranho ao olhar de um leigo que tantos órgãos podem causar doenças diferentes com um único tipo de sintoma, mas podem! 

A imagem ultrassonográfica pode auxiliar na diferenciação entre causas inflamatórias e obstrutivas, por exemplo: um gato de pelo longo que tem o hábito de ingerir frequentemente seus próprios pelos ao se lamber e isto pode levar a formação de um corpo estranho em seu estômago ou no início do intestino. Este pode ser tão sólido quanto uma pedra e denominamos de tricobezoar. Este tipo de corpo estranho forma uma sombra imensa no exame ultrassonográfico além de proporcionar imagens indicativas de processo obstrutivo. Os corpos estranhos lineares também são frequentemente ingeridos por gatos. São entre eles, as linhas, pedaço de fios e tecidos, ou até mesmo laços plásticos. Este tipo de corpo estranho ocasiona um padrão de imagem ultrassonográfico característico de plissamento das alças intestinais e um processo obstrutivo muito grave que exige diagnóstico e intervenção cirúrgica imediata por conta do risco de vida que causa ao paciente. 

Gatos com sobrepeso podem frequentemente apresentar inflamações no fígado, vesícula biliar e pâncreas, que quase sempre são subclínicas e crônicas, mas que podem evoluir para processos importantes, como as pancreatites e colangiohepatites, que agudizam e podem ser diagnosticados na imagem ultrassonográfica. Estas doenças se não diagnosticadas podem levar o paciente a condições muito críticas e até ao óbito. O exame ultrassonográfico permite que o médico veterinário clínico trate adequadamente e contenha a evolução da doença. 

 Imagem: Imagem sonográfica de colangiohepatite em paciente felino

Outra situação comum é a infestação por um parasita denominado Platinossomum, cujo hospedeiro intermediário é a lagartixa. Este verme se aloja na vesícula biliar dos gatos que têm o hábito de caçar lagartixas, e pode ocasionar processo inflamatório e obstrutivo de vias biliares. A ultrassonografia não detecta a presença do verme, mas pode detectar o processo inflamatório ocasionado nos órgãos envolvidos. 

 

Em qualquer situação, seja de vômito bilioso (amarelado), espumoso (branco), regurgitação (comida ou ração) ou até vômito fecal (fezes) deve ser procurado um clínico veterinário para avaliar o quadro clínico. Na maioria das vezes o médico irá solicitar uma ultrassonografia abdominal total junto com outros exames laboratoriais. 

Ainda sobre vômitos, os gatos podem apresentar inflamação da mucosa gástrica e intestinal em casos de nefropatia crônica. A imagem de gastrite urêmica ao exame ultrassonográfico demonstra o edema da mucosa do estômago e a correlação deste achado com imagens que sugiram nefropatia crônica podem auxiliar o clínico no diagnóstico e tratamento adequados para conter os sintomas da doença e melhorar o bem-estar animal do paciente.

Aqui em nosso NAUS – Núcleo de Aperfeiçoamento em Ultrassonografia temos profissionais de excelência que realizam diariamente a ultrassonografia abdominal que é capaz de auxiliar o clínico na diferenciação destas doenças. 

Além disso, a nossa escola auxilia a capacitação de ultrassonografistas com os cursos presenciais que envolvem esses temas específicos. Tudo isso para levar o melhor aos nossos pacientes.

× Como posso te ajudar?